lesão meniscal

lesão meniscal

O que é?

Os meniscos são estruturas fibrocartilaginosas em formato de meia lua, de consistência semelhante à de uma borracha, que ficam no interior dos joelhos. Em cada joelho, existem dois meniscos, o medial (do lado interno do joelho) e o lateral (do lado externo do joelho). A principal função deles é a de distribuir a carga que passa na articulação para ajudar a diminuir a pressão sobre a cartilagem que recobre os ossos no joelho. Ou seja, funcionariam como “amortecedores”, protegendo essa cartilagem. Uma lesão nos meniscos prejudica essa proteção e expõe a cartilagem ao desgaste, facilitando o processo de artrose na articulação. Os meniscos são estruturas que recebem vascularização sanguínea apenas em seu terço mais periférico, o que traz consequências importantes quando da decisão do tratamento mais adequado nos casos de lesão.

Quem está sob risco?

Existem dois grupos que são mais propensos às lesões meniscais: os jovens, praticantes de esporte, e o de pessoas acima dos 50 anos. Nos jovens, as lesões são relacionadas a eventos traumáticos, como entorses ou outros movimentos bruscos e não habituais do joelho. É muito comum as lesões de menisco estarem associadas às lesões ligamentares. Já no caso dos pacientes mais velhos, as lesões de menisco são degenerativas, causadas pelo desgaste natural e perda das propriedades elásticas dos meniscos.

Sintomas

Os principais sintomas desta lesão são a dor, que normalmente se localiza nas laterais do joelho (interna ou externa, dependendo do menisco lesionado), e os bloqueios do joelho. Este último sintoma é causado pelo deslocamento do menisco de um lado para outro, o que gera estalos e travamento em certas posições.

Diagnóstico

O diagnóstico é feito através das queixas do paciente e do exame físico que apontam para suspeita clínica da lesão de um ou dos dois meniscos. A suspeita clínica deve ser confirmada ou rechaçada através do exame de ressonância magnética.

Tratamento

Nos pacientes com a chamada lesão degenerativa do menisco, o tratamento conservador (sem cirurgia) costuma dar bons resultados em até 70% dos casos, com o uso de medicações antiinflamatórias, gelo e fisioterapia. Nos casos onde o tratamento conservador não obteve sucesso, a cirurgia artroscópica (cirurgia com 2 ou 3 cortes pequenos na frente do joelho) com a remoção do fragmento lesionado do menisco deverá ser realizada. Nos casos de lesão degenerativa, a sutura (costura) meniscal está contraindicada, já que não há chance de cicatrização.

Nos casos de lesão meniscal por trauma do joelho, o que acontece normalmente em pacientes mais jovens e desportistas, o tratamento normalmente é cirúrgico com a tentativa de sutura (costura) do menisco lesionado por artroscopia. Porém, não são todas as lesões de menisco que são passíveis de sutura. As lesões fora da zona vermelha (zona que recebe o suprimento sanguíneo – o terço mais periférico do menisco) tem chances menores de cicatrização, e por isso, a remoção do fragmento deverá ser considerada. Lesões menores e com características de estabilidade no exame da ressonância magnética poderão ser tratadas com fisioterapia e antiinflamatórios visando a ausência dos sintomas dolorosos mesmo nos pacientes mais jovens.

Compartilhar

escolha uma das alternativas abaixo:

// customization logo // end of customization